Ações desenvolvidas em Rondônia contribuem para o Brasil ser campeão contra a malária nas Américas

Os esforços conjuntos adotados pelo governo federal, estados, municípios e entidades privadas fizeram com que o Brasil fosse reconhecido como o “Campeão contra a malária nas Américas” entre os países que lideram o combate à malária. O reconhecimento foi feito hoje, 6 de novembro, Dia da Malária na América, em Washington – EUA, pela Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). Os outros países que tiveram seus esforços reconhecidos para a eliminação da doença foram Honduras e Paraguai.

O Brasil, segundo a coordenadora do Programa Nacional de Controle da Malária, do Ministério da Saúde, Ana Carolina Santelli, “tem hoje o menor número de casos de malária nos últimos 35 anos”.

Kaio Ribeiro diz que planejamento de combate à doença antecipou construção das hidrelétricas
Kaio Ribeiro diz que planejamento de combate à doença antecipou construção das hidrelétricas

Em Porto Velho, município que abriga a construção de duas grandes hidrelétricas, o planejamento antecedeu a implantação dos empreendimentos e um plano de combate à malária foi feito tanto para o entorno das usinas, como para os trabalhadores que vieram trabalhar nas obras, conforme destaca Kaio Ribeiro, coordenador de Meio Ambiente da Santo Antônio Energia.

A distribuição de mosquiteiro impregnados de longa duração contribuíram com a redução dos casos de malária
A distribuição de mosquiteiro impregnados de longa duração contribuiu com a redução dos casos de malária

A Santo Antônio Energia, concessionária responsável pela implantação e geração da Hidrelétrica Santo Antônio implementou ações de controle da malária, do Programa de Saúde Pública, onde foram investidos mais de R$ 22 milhões. Os trabalhos envolveram contratação de mão de obra, construção de pontos de apoio, aquisição e distribuição de equipamentos (veículos, microscópios, termonebulizadores, mosquiteiros, entre outros). Mais de 30 mil Mosquiteiros Impregnados de Longa Duração (Mild) foram instalados em várias comunidades de Porto Velho e também nas terras indígenas Karitiana e Karipuna.

Veja o vídeo apresentado pelo Ministério da Saúde do Brasil aqui: www.youtube.com/watch?v=s6BFXlxSrqo

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Share On Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *