Concluída a revitalização do Cemitério da Candelária

A Santo Antônio Energia concluiu as obras de revitalização do  Cemitério da Candelária, que faz parte da história de Porto Velho e está inserido no conjunto histórico da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 2007.

No cemitério, que funcionou de 1910 a 1930, foram enterradas 1532 pessoas de várias nacionalidades como brasileiros, ingleses, americanos, barbadianos, turcos e espanhóis que participaram da construção da lendária estrada de ferro. Porém, como o local ficou muitos anos abandonado, a quase totalidade dos túmulos não existe mais devido à ação do tempo ou a atos de vandalismo.

A revitalização, que foi uma compensação da Santo Antônio Energia em atendimento a uma condicionante do licenciamento ambiental solicitada pelo Iphan, começou em setembro de 2018 e abrangeu a terraplenagem do local, construção de trilhas e do pórtico de entrada, paisagismo, instalação de placas indicativas e de rampas de acessibilidade. Por ser tratar de uma área tombada pelo Iphan, todos os trabalhos foram acompanhados por uma equipe de arqueologia. O material encontrado, como fragmentos de cerâmicas e machadinhas, que podem ter sido usados para a caça e o preparo de alimentos no período pré-colonial, ou seja, bem antes da construção da estrada de ferro, estão sendo identificados pelos arqueólogos.

O coordenador de Meio Ambiente da Santo Antônio Energia, Kaio Ribeiro, explica que a gestão do cemitério será da Prefeitura de Porto Velho.

A chefe da Divisão Técnica do Iphan, Mônica Castro, aprovou a revitalização. “Este cemitério é um patrimônio cultural do estado e também brasileiro porque é um marco da presença de diversas nacionalidades que estiveram aqui na saga da Madeira-Mamoré. É muito importante que este espaço esteja requalificado e entregue à população para a visitação”, declara.

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Share On Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *