Qualificação de mão de obra local – Preocupação constante

Operacaoo_lateral_V2Uma das preocupações que antecederam a construção da Hidrelétrica Santo Antônio foi a possibilidade do empreendimento atrair milhares de pessoas para a região de Porto Velho, criando, assim, um bolsão de miséria de difícil solução para o poder público.

 

Para solucionar este problema, a Construtora Odebrecht – uma das empresas líderes do consórcio construtor da hidrelétrica – criou o Programa de Qualificação Continuada Acreditar, que treinou quase 60 mil pessoas em nove ocupações – pedreiro, carpinteiro, armador, vibradorista, soldador, eletricista, mecânico e operador de equipamentos. Uma parte das pessoas qualificadas ou requalificadas foi contratada pelo consórcio construtor e a outra parte começou a trabalhar nas obras de construção civil da capital rondoniense ou fora do Estado. Na construção da Hidrelétrica Santo Antônio, o aproveitamento da mão de obra local sempre girou em torno de 70% , sendo 10% dos cargos ocupados por  mulheres.

 

Atualmente, na fase de geração, a Hidrelétrica busca no mercado os engenheiros e técnicos para a operação e manutenção da usina, sendo a maioria dos técnicos oriunda de cursos do SENAI, como por exemplo, os eletrotécnicos e eletromecânicos. A média de aproveitamento de mão-de-obra local continua mantendo a média de 70% do total de contratados.

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Share On Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *