Sistema de Manejo de Troncos garante segurança das turbinas e preserva o ecossistema

O rio Madeira nasce na Cordilheira dos Andes e vem trazendo em seu caminho uma quantidade enorme de sedimentos e material flutuante como árvores e galhadas. Para se ter uma ideia, na época de cheia, são cerca de oito mil troncos por dia. Esta importante característica do rio sempre foi um desafio na implantação da Hidrelétrica Santo Antônio que precisou desenvolver um mecanismo que protegesse as turbinas da usina, mas que ao mesmo tempo assegurasse a passagem desse material flutuante pela barragem em seu ciclo natural, já que estes troncos e galhadas são importantes para a preservação do ecossistema.

Para isso, foi criado o Sistema de Manejo de Troncos da hidrelétrica. Trata-se de uma “barreira flutuante” chamada log boom, que são boias interligadas por uma estrutura em aço, em uma extensão de 5.800 metros, que formam linhas de proteção no rio. São elas que impedem a chegada dos troncos e galhadas nas turbinas e “direcionam” este material para o vertedouro de troncos, para que continuem seu caminho pelo rio.

Foto em destaque: O Rio Madeira, onde está localizada a hidrelétrica, na época de cheia, chega a registrar 8 mil troncos por dia

sistema-de-manejo-de-troncos-garante-seguranca-das-turbinas-e-preserva-o-ecossistema-1

sistema-de-manejo-de-troncos-garante-seguranca-das-turbinas-e-preserva-o-ecossistema-2
Fotos acima: O log bom impede a chegada dos troncos e galhadas nas turbinas, ao mesmo tempo que os direciona para o vertedouro de troncos, para que sigam seu caminho normalmente pelo rio, já que são importantes para a preservação do ecossistema
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Share On Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *