Sistema de Transposição de Peixes garante a migração de espécies no rio Madeira

Sistema de Transposição de Peixes garante a migração de espécies no rio Madeira

Oficialmente, o início da piracema na Amazônia acontece em novembro, no período de chuvas mais intensas e de cheia dos rios. Porém, agora, no final de setembro,  já é possível acompanhar a subida para reprodução dos primeiros cardumes que aproveitam o fim da  época seca, com o nível do rio mais baixo e águas mais claras.

No Sistema de Transposição de Peixes  (STP) da Hidrelétrica Santo Antônio já é possível ver facilmente  alguns desses cardumes,  a maioria deles de peixes de escamas como a curimba, sardinha, piau e branquinha. No final do ano, com água mais turva, são facilmente vistos os peixes sem escamas, que são chamadas de peixes de couro, como os grandes bagres.

O STP da hidrelétrica é um canal de quase um quilômetro de extensão  que reproduz as características do rio Madeira, possibilitando que os peixes ultrapassem a barragem da usina e sigam normalmente seu curso pelo rio, garantindo a desova e a manutenção da atividade pesqueira. O canal funciona desde 2011 e durante todo este tempo já foram registradas mais de 60 espécies de peixes utilizando a estrutura.

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Share On Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *